Reformar ou construir

Reformar ou construir

Nas grandes capitais e metrópoles do país, há um problema no que diz respeito à espaço, especialmente em ruas cobiçadas seja para comércio ou para residência. Assim, encontrar maneiras de adaptar o espaço existente à necessidade do negócio é um desafio para proprietários, engenheiros e arquitetos. A boa notícia é que há diversas modalidades construtivas que os auxiliam nessa tarefa.

Investir em residências que podem ser modificadas é uma saída e tanto para driblar a falta de terrenos para se construir e também o alto preço do aluguel de salas comerciais em endereços cobiçados. Muito embora o valor a ser gasto com a reforma possa ser muitas vezes superior ao de uma construção, os que optam por esse tipo de empreendimento dizem que vale a pena, especialmente pelo retorno que tem devido à localização.

O mais comum é a retirada de paredes internas de casas já existentes, que é uma alternativa para se conseguir o espaço necessário já que não há como construir um projeto do zero – justamente pela falta de terrenos vazios. Divisão de cômodos, troca de revestimentos e pisos, derrubada de paredes, ampliação de janelas, mudança de pontos de luz e água.

Além da derrubada de paredes, é comum se utilizar estruturas metálicas e placas cimentícias ao invés de tijolos, o que facilita a reforma deixando-a mais limpa e rápida. Assim é possível se criar grandes vãos que podem ser sustentados por esse tipo de estrutura.Todas essas alterações e intervenções são necessárias para que se estruture o negócio de maneira bonita e funcional, valorizando o ponto e não perdendo tempo com uma nova construção. Lançar mão de artifícios como materiais pré-moldados são uma tendência e que deve crescer com esse necessidade por novos espaços.

Gostou? Sinta-se à vontade para compartilhar, acompanhe nossas publicações

Artigos Relacionados